2908 PATRIMONIOS

Austrália concentra 19 Patrimônios Mundiais da UNESCO

A Austrália é um país maravilhoso pela combinação de belas praias, educação de qualidade e segurança. Mas ela se torna ainda mais atrativa por concentrar 19 Patrimônios Mundiais declarados pela UNESCO!

Entre eles estão desde espaços culturais, isto é, construídos pelo homem, como prisões da época do império, quanto naturais, como algumas das florestas mais antigas da Terra.

Para um lugar ser declarado patrimônio mundial, ele deve ter um valor excepcional e se enquadrar em um dos critérios culturais ou naturais. Após ser classificado como tal, a área se torna um tesouro nacional que deve ser preservada e protegida pelo país em que se encontra.

Veja abaixo a lista dos patrimônios mundiais aussies, divididos em três categorias, e não deixe de conferir pessoalmente durante o seu intercâmbio.

CULTURAL

Onze construções com funções penais, entre as milhares estabelecidas pelo Império Britânico em solo australiano nos séculos 18 e 19, figuram na lista. As construções estão espalhadas por todo o país, localizadas desde Fremantle, na Austrália Ocidental, até na Tasmânia.

O espaço foi projetado para as grandes exposições internacionais de 1880 e 1888, em Melbourne. O edifício é construído em tijolos e madeira, aço e ardósia e combina elementos de variados estilos como bizantino e renascentista.

Inaugurado em 1973, a Ópera de Sydney é uma ótima obra arquitetônica do século XX que reúne múltiplas cadeias de criatividade e inovação, tanto na forma arquitetônica quanto no design estrutural.

NATURAL

Situados no norte e sul, respectivamente, no leste da Austrália, estes sítios arqueológicos estão entre os 10 maiores do mundo. Eles são uma excelente ilustração dos principais estágios da evolução da fauna única da Austrália.

Com 122 km de extensão, é a maior ilha de areia do mundo, localizada na costa leste da Austrália. A combinação de dunas de areia, florestas tropicais e lagos a torna um local excepcional.

Este lugar, composto por várias áreas protegidas, situa-se predominantemente ao longo da costa leste australiana. As características geológicas notáveis, como as crateras vulcânicas e o elevado número de espécies raras e ameaçadas da floresta, são de importância internacional para a ciência e a conservação.

A “Grande Barreira de Corais” é a maior coleção mundial de recifes de corais, com 400 tipos, 1.500 espécies de peixes e 4.000 tipos de moluscos. Possui também grande interesse científico como o habitat de espécies como o dugong (“vaca do mar”) e a grande tartaruga verde ameaçada de extinção.

O lugar consistem em mais de 1,03 milhões de hectares de platôs de arenito, escarpas e desfiladeiros dominados pela floresta de eucalipto temperado. As montanhas fornecem uma representação significativa da biodiversidade da Austrália, com 10% da flora vascular, bem como um número significativo de espécies raras ou ameaçadas.

As ilhas estão localizadas no Oceano Austral, a aproximadamente 1.700 km do continente antártico e 4.100 km a sudoeste de Perth. Como as únicas ilhas subantárticas vulcanicamente ativas, elas “abrem uma janela para a Terra”, proporcionando assim a oportunidade de observar os processos geomórficos em andamento e a dinâmica glacial.

Um exemplo notável de ilhas oceânicas isoladas, nascidas da atividade vulcânica de mais de 2.000 metros sob o mar, essas ilhas possuem uma topografia espetacular e abrigam numerosas espécies endêmicas, especialmente as aves.

A ilha está localizada a 1,500 km a sudeste da Tasmânia e aproximadamente no meio do caminho entre a Austrália e o continente antártico. É um local de grande importância para a geoconservação, sendo o único lugar na Terra onde as rochas do manto terrestre (6 km abaixo do fundo do oceano) estão sendo ativamente expostas acima do nível do mar. Essas exposições únicas incluem excelentes exemplos de basaltos e outras rochas.

A propriedade marinha e terrestre de 604.500 hectares de Ningaloo, na remota costa ocidental da Austrália, inclui um dos arrecifes mais próximos da costa do mundo. Reuniões anuais de tubarões-baleia ocorrem no lugar, que abriga inúmeras espécies marinhas, entre elas uma grande quantidade de tartarugas marinhas. A parte terrestre apresenta corpos de água subterrâneos com uma substancial rede de cavernas e riachos. Eles apoiam uma variedade de espécies raras que contribuem para a biodiversidade.

O Parque Nacional Purnululu, de 239.723 hectares, está localizado no estado da Austrália Ocidental. Nele está contida a cordilheira de Bungle Bungle, composta por quartzo da época devoniana, erodido durante um período de 20 milhões de anos.

No ponto mais ocidental do continente australiano, Shark Bay, com suas ilhas e a terra que o rodeia, tem três características naturais excepcionais: suas vastas camas de gramado marítimo, as maiores (4.800 km2) e as mais ricas do mundo; a população do dugongo (“vaca do mar”); e suas colônias de algas que formam depósitos duros em forma de cúpula e estão entre as formas mais antigas de vida na Terra. Shark Bay também abriga cinco espécies de mamíferos ameaçados de extinção.

Esta área, que se estende ao longo da costa nordeste da Austrália por cerca de 450 km, é composta principalmente de florestas tropicais. Este biotipo oferece um conjunto particularmente extenso e variado de plantas, bem como marsupiais e pássaros cantores, juntamente com outros animais raros e ameaçados de extinção e espécies de plantas.

CULTURAL E NATURAL

Esta reserva arqueológica e etnológica única, localizada no Território do Norte, foi habitada continuamente por mais de 40 mil anos. As pinturas rupestres, as esculturas de rocha e os sítios arqueológicos registram as habilidades e o modo de vida dos habitantes da região, desde os caçadores-coletores da pré-história até os aborígenes que ainda vivem lá. É um exemplo único de um complexo de ecossistemas.

Em uma região que foi submetida a uma severa glaciação, esses parques e reservas, com seus desfiladeiros íngremes, cobrindo uma área de mais de 1 milhão de hectares, constituem uma das últimas extensões de floresta temperada no mundo. Os restos encontrados em cavernas de calcário atestam a ocupação humana da área há mais de 20 mil anos.

Este parque, anteriormente chamado de Parque Nacional Uluru (Ayers Rock – Mount Olga), apresenta formações geológicas espetaculares que dominam a vasta planície arenosa vermelha da Austrália central. Uluru, um imenso monólito, e Kata Tjuta, as cúpulas de rochas localizadas a oeste de Uluru, fazem parte do sistema de crenças tradicional de uma das sociedades humanas mais antigas do mundo. Os proprietários tradicionais de Uluru-Kata Tjuta são os aborígenes Anangu.

Os restos fósseis de uma série de lagos e formações de areia que datam do Pleistoceno podem ser encontrados nesta região, juntamente com evidências arqueológicas de ocupação humana que datam de 45-60.000 anos atrás. É um marco único no estudo da evolução humana no continente australiano. Vários fósseis bem conservados de marsupiais gigantes também foram encontrados aqui.

Para saber mais sobre os Patrimônios Mundiais, acesse o site oficial da UNESCO. E se você quiser mais informações sobre intercâmbio na Austrália, entre em contato com a gente!

Site – http://www.gooddayoz.com
Facebook – https://www.facebook.com/gooddayoz
Instagram – https://www.instagram.com/gooddayoz/

Noelle Marques

Noelle Marques - Journalist

Leave a Reply